quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Vida de trintões

Dou por mim, na minha geração, rodeado de divorciados e divorciadas, ou casais prestes a isso. Contabilizei os quem me rodeiam e cheguei à conclusão que a percentagem é muito superior à média nacional.

O maior problema é a existência de filhos em alguns desses casais, com poucos anos, no meio de uma onda muitas vezes carregada de imaturidade.

Tenho casos de amigas/conhecidas, que foram sempre demasiado moles e crédulas, que experimentaram apenas o gajo com quem casaram numa "festa de princesa", que depois, apanharam com um principe que cagava nelas, em casa, e na vida a dois.

Tenho amigos, que por vezes, associados à postura das mulheres e pensando que o controle da relação seria sempre deles, mantinham a atitude de nada fazer em casa, julgando ainda que as bejecas com os amigos, eram mais importantes que a vida a dois.

Se uns se chateiam por uma queca dada fora do lar, outros aborrecem-se pois chegam à conclusão que a vida afinal não é o mar de rosas permanente e sem responsabilidade que experimentaram até então.

Muitos depois, andam desesperados com o intuíto de refazer uma estória de vida a dois, e aí, aqueles que o fazem, começam a ganhar a maturidade que lhes faltou inicialmente. E ao invés de terem alterado a sua conduta na primeira relação, tornam-se um pouco mais perfeitos ou tolerantes à segunda.

Há sempre uma segunda oportunidade, pena é que não a apliquem na primeira (se é que me faço entender).

14 comentários:

Yashmeen disse...

O meu pai costuma dizer: "Da primeira vez casei por ignorância, da segunda por esquecimento".

É normal que nos segundos casamentos as pessoas casem com "mais cabeça", até porque já sabem a chatice que é um divórcio. Daí que as segundas relações sejam mais apaixonadas, porque são escolhidas com mais cuidado. Digo eu...

Cristina disse...

E quando há trintões, que nunca foram casados... como é o modo de acção (e reacção) desses espécimes em vias de extinção?!

LoiS disse...

Esses espécimes têm nome: ENCALHADOS!

O CASAR para mim incluí as uniões de facto e as partilhas de vida!

Cristina disse...

Aiiii... "encalhados"... que coisa feia de se dizer.

Eu que estou ainda na fina flor dos 25 (sim, faço 26 daqui a um mês e um dia), já fui chamada de encalhada... pfff

Gosto mais de lhes chamar solteirões convictos. Eu e esta minha mania de dar nomes a tudo...

Breaking disse...

Olha lá eu sou trintona e nunca casei e não me considero ENCALHADA faxfavori!!! LOL

Bom fim de semana

LoiS disse...

Eu sei que é feia, mas é o que se diz! e a sociedade não está muito virada para outras visões.

Ou então, se é um gajo, é porque é GAY mesmo (não tarda nada já se podem casar oficialmente, ao menos isso)!

Cristina disse...

Aiiii, a minha 'bidinha'... :s

Se é solteira, é encalhada; se é solteiro, é gay!

Será possível que não haja um meio-termo?! Há pessoas que gostam, efectivamente, de estar sozinhas. Pelo menos, até sentirem que estão a ficar demasiado sozinhas aos domingos à tarde...

pelicanogirl disse...

ando tudo numa roda viva de vontade de amar e ser amado. no final ninguem sabe muito bem o que se quer dizer com essa palavrita...depois dá no casa descasa... ou nos encalhados. beijinhos

freemind disse...

Estou surpreendida... sinto-me compelida, forçada, obrigada... e acreditem, não é de boa vontade que o faço, pois é um acto contra natura.... a Concordar contigo!! (custou, mas saiu!)
Mas essa é a relidade; não se esforçam, não valorizam de parte a parte... e apercebem-se do valor que tinham quando perdem.

LoiS disse...

Tu no fundo no fundo...mas bem no fundo, amas-me loucamente!

hahahahaha

Mas a sério, não sei se gostam a sério da pessoa, muitas das vezes estão juntos por uma qualquer obrigação de início de vida!

Djinn disse...

Poderás ter muita razão e não posso falar como trintona porque sou quarentona, e sou divorciada e tenho um filho.
Mas permite-me que partilhe algo, o meu casamento terminou depois de 18 anos de relação e porque pela honestidade de ambas as partes quando o amor falta, salva-se o que se pode, neste caso a amizade.
No entanto cada caso é um caso e cada pessoa terá as suas perspectivas e vivências.

LoiS disse...

Djinn, é uma honra estares aqui.

Bem vinda e olha, diverte-te agora e muito ;), ainda bem que ficou a amizade, mas... não será o Amor isso também?

Djinn disse...

LoiS: Obrigada :)o prazer é todo meu!
Quanto à amizade ficou porque mesmo na separação sempre houve algo mto importante, respeito. Sim há quem diga que a amizade é uma forma de amor!

Quanto ao divertir, divirto-me q.b. e levo a minha vida na medida do possível de modo aprazível ;)

Andorinha disse...

tas lá... não faz falta acrescentar mais nada!