terça-feira, 6 de fevereiro de 2007

Dor de cabeça

Augusto lidava "profissionalmente", via telefone, com Carmen há perto de um ano. Apenas se conheciam por voz e a confiança entre ambos era já muita.

No que respeita ao tempo de conversa a dois, estatisticamente falando, os 100% iniciais usados em conversas profissionais, nos últimos meses, passaram a uns escassos 3%. Apenas o suficiente para justificar o telefonema.

A voz do Augusto era excitante para Carmen, assim dizia ela, não foi difícil a conversa saltar a barreira do passivo. Depressa ambos começaram a descrever como se deliciariam carnalmente um com o outro se tal oportunidade tivessem.

O inevitável aconteceu, Augusto não esperava que fosse tão cedo, talvez Carmen também não, mas o convite partiu mesmo de Carmen ao vislumbrar uma oportunidade.

- Dia 15 estarei à tua espera quando passares aqui pelo meu distrito, sempre és tu que vens à reunião de direcção ?

Augusto assustou-se, mas a excitação das últimas conversas telefónicas superou o impacto do convite, desafios como esses são para se enfrentarem de frente, aceitou a proposta !

...

A reunião foi improdutiva e demasiado longa. Augusto estava no dia D a pensava na hora H, estava impaciente !

Mesmo assim, chegou ao local marcado à hora combinada. Subiu ao quarto, perante si estava Carmen ...

Ainda dizem que os homens não têm dor de cabeça nessas alturas !!!!!!!

11 comentários:

Paula disse...

Em primeiro lugar, devemos ver onde nos metemos e depois decidimos!

Opinião da criança cá do sítio: já ninguém tem dores de cabeça!!! É não e ponto final!

taizinha disse...

A dor de cabeça é proporcional à visão que teve da Cármen? Será a Cármen como ele imaginou? Melhor? Pior? Qual o tamanho da dor de cabeça? AhAhAh

Capitão-Mor disse...

Agora estamos numa de contos populares? Espera por amanhã e cerás a estreia da minha blogosérie que virá destronar os míticos Dr.Houses e NIP/Tucks da vida!!! :) Qualquer semelhança com a realidade não é pura coincidência...

Isto cheira-me que tenha acontecido contigo. Quando foi mesmo que fizeste o teu último périplo pelo Norte? :)

vinte e dois disse...

He! He! Concordo com o Capitão! palpita-me que aqui o nosso amigo Augusto é nosso conhecido ;D

taizinha disse...

Augusto... ai, desculpa, enganei-me... Lois, nunca mais serás o mesmo na blogosfera! AhAhAh

LoiS disse...

Naaaaa, afinal, quem estiver atento a esta tertúlia literária, encontrará esta ilustre personagem presente com inúmeras aventuras e desventuras relaccionais.

No entanto, aceito que existe um Augusto dentro de todos nós !

ritó disse...

Eu devo estar MUITA burra, deve ser da estupidificação a nível profissional, mas facto é que não percebi nada do "post". Será que alguém me consegue explicar "como se eu fosse muito burra???"

(e eu que pensava que era uma mulher perspicaz, sinto-me mesmo estúpida)

LoiS disse...

Trata-se de um desafio literário com a amiga TIA ... já está a dar muita celeuma no nosso mundo Blogosférico.

Cada um de nós utiliza a história do outro para a conduzir num determinado sentido inesperado, que terá que permitir ao outro, uma continuação lógica !

Não sei se me expliquei bem!!!!

ritó disse...

Muito bem explicadinho, como sempre. Já percebi!!!
Muito obrigada!

Maríita disse...

Muito bem, e gostei também da continuação da Taizinha.

Beijocas

TONY, Duque do Mucifal disse...

lois, agora deste para escrever blogonovelas? cá para mim andas num workshop sobre "como escrever um argumento de sucesso na novela das nove".
Se colocares umas miudas em soutiens eu passo a ver NOVELAS.
FORÇA AMIGO!