quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

comment vas-tu?

“My name is EARL”, quem conhece a série?

O tipo tenta emendar montes de merda que fez no passado, e lá anda ele, episódio atrás de episódio a fazer aquilo a que se sente obrigado, por karma, tentando compensar o mal feito e o sofrimento causado.

Descobri uma paixão de férias de há uns 20 anos atrás. Ela era uma linda (na altura) montenegrina de nacionalidade francesa. Foram umas férias avassaladoras onde os dois bloqueámos na sintonia , e eu, com menos 5 anos que ela, um "chavalito", vivi o impensável para a minha idade, aprendi muito e claro, como quase sempre e com quase todas, muito mal me portei depois.

Trocámos cartas ao longo de um ano, cada um já no seu país. E acabou como tudo tem de acabar um dia, sem mais…

Há anos que não sei dos contactos dela, tudo voou, apenas guardei na minha memória nomes, locais e experiências.

Ontem voltei a saber dela, aqui mesmo, na net. Deparei-me com o seu nome associado ao cargo de “Dirigeant” de uma empresa cujo negócio é hoje aquilo que sabia que era na altura a actividade industrial de família.

Associando essa actividade profissional, à região de França, à idade, e ao nome com um apelido raríssimo, daqueles próprios dos países Balcãs, cheguei à conclusão de que se tratava dela.

Não sei se foi nostalgia, surpresa pela descoberta, ou mesmo uma necessidade básica bem ao estilo “My name is EARL”, só sei que me senti - a coberto da facilidade que a net dá - impelido a mandar um email para o contacto geral da empresa ao cuidado da senhora “Dirigeant”.

Já não é a primeira vez que tal me acontece. Não faço a ideia se quero que o tempo volte para trás!

Sei que esta minha “carta” leva um atraso de quase duas décadas. Ainda bem, penso e tenho a certeza agora. Mas mesmo assim lá seguiu um: comment vas-tu?

Não obtive resposta…se ela esperou 20 anos…

4 comentários:

lélé disse...

Engraçado, que no final do ano passado, fiz exactamente o mesmo que tu!... Procurei e descobri uma paixão de há 20 anos e mandei um mail... Tive resposta e que resposta!... Mas, também como tu, não quero voltar ao passado, quer dizer, aquilo está perfeito no passado, mas no presente, de certeza, não é aquilo...

Silvia F. disse...

Estás para o nostálgico? Oh diabo, fraco sinal!
Vê lá tu a impressão com que ela ficou de ti nem uma respostinha... vá, quem pode levar-lhe à mal!

Hihihihi

LoiS disse...

lélé:

Sim o passdo, para alguns, não deve ser mexido. Sei lá se tenho costela de arqueólogo.

Silverada F.:

Não tenho problemas em dar parte de fraco e talvez tenhas razão!

Djinn disse...

Arqueólogo? hmmmm naaaaa que arqueóloga sou eu! É nostalgia mesmo, recordar é viver e às vezes sentimos a necessidade não de viver o passado de novo...mas perceber talvez onde estarias agora...e «se»...:)

Mas são momentos, recordações :):)