quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Constatações Fumantinas

A recente proibição de fumar em espaços públicos, como em empresas e demais instituições, tenho para mim que originará situações engraçadas. Por um lado temos aqueles que se dirigirão com frequência ainda para mais longe para fumar, e por outro, os que não fumam, a ficarem sobrecarregados com o trabalho deixado para trás motivado pelas ausências daqueles que o fazem. Caso para dizer que os fumadores activos estão de facto a … os fumadores até então passivos (“leiam” a foto).

Sempre é melhor ser usado pelo trabalho que pela saúde, é um facto!

Na minha “promenade” matinal em plena cidade, verifiquei de facto muito cacilhanço nas portas de cafés e de edifícios. Caso para dizer que não contente estávamos com o monóxido de carbono original dos veículos, acrescentámos a esse a maravilhosa combustão não menos simpática dos bandos de
nicotinómanos no passeio. É andar pelo passeio em pleno centro citadino para apanhar com fumo vindo da estrada e fumo vindo da porta dos prédios e lojas, esquerda e direita, nada mais democrático!

P.S. Parece que o espectáculo de réveillon da RTP promoveu o álcool, com 4 adolescentes inconscientes a embriagarem-se em público e a ridicularizarem o dinheiro dos contribuintes. Triste demais. Atento estava um agente da autoridade que encarcerou um destes prevaricadores. Exemplos destes? não obrigado!

5 comentários:

Lisa's maus feitio! disse...

Pois sobre o tabaquito, estive todo o dia a pensar precisamente no que escreves. Vai lá vai...
Acho que os passivos estão contentes, mas considero a lei abrangente demais. Não haveria meio termo, caramba? Muito abrangente, I think. Mas cá está e cumpra-se a lei. Por mim, sempre 5 estrelas.

Os gatinhos... Hummmm... Como dizer... Como explicar... Foi divertido, foi, sim senhor.
Mas calhou-lhes mal... Muito mal. Mas foram os Gatos Fedorentos? Então não se fala mais nisso!!
Se é que me fiz entender...

beijos gdes!

Xuinha Foguetão disse...

Ontem quando tomei o meu galão num café em pleno centro comercial senti uma enorme alegria.
Consegui sair do dito centro sem tresandar a tabaco.

Eu agradeço e quem me dá boleia tb.

Mas esse acumular de fumo na entrada dos edifícios é bem real. Tb o constatei...

Vamos lá ver como isto corre.

Beijos

Maríita disse...

Eu estou farta de me rir com as situações que tenho visto, desde pessoal a ressacar e a dizer que querem ir para a rua fumar, a estar num restaurante em que volta e meia se levanta toda a gente para ir para a rua fumar, ou sim, com o magnífico tempo que se tem verificado, uma senhora a tomar a bica no meio da rua e a fumar como se não houvesse amanhã... tenho visto de tudo!

Feliz Ano 2008, Cheri!

Beijinhos

Capitão-Mor disse...

Maior liberdade para aqueles que não fumam e restrição de liberdade para aqueles que fumam, como é o meu caso. Absolutamente ridículo! Porque o mundo anda sempre de arrasto com o que os americanos decidem?
Ok, eu até entendo que o Estado não queira ter despesas comigo se eu algum dia ficar doente pelo meu vício, mas nós pagamos impostos para quê? E já agora, também seria boa ideia o Estado deixar de embolsar os impostos do comércio do tabaco.
Continuação de boas entradas!

TONY, Duque do Mucifal disse...

GANDA LOIS. Há imenso tempo que nao ando em blogs e curiosamente tambem me indignei com a estoria dos gatos. escrevi sobre isso no meu regresso ás lides.
relativamente ao trbalho, nunca ouviste falar em horas extraordinarias? inclusive em Portugal quase sempre "oferecidas" aos Patroes...