quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Poderes não muito ocultos


Normalmente, quem não deve não teme, essa máxima posso aplicar ao assunto do dia deste rectângulo à beira mar plantado: escutas telefónicas.

Tudo recomeçou, quando o inábil politicamente Procurador Geral da Republica, disse, em entrevista ao Jornal Sol, não ter a certeza se estava ou não a ser alvo de escutas telefónicas.

Quem se levanta a bradar aos céus contra as escutas telefónicas, esse “crime monstruoso” cometido pelas forças judiciais e policiais? Eu respondo: todos aqueles que detêm poderes, ou como se diz em bom português, "rabos de palha"!

Não é o povão que nada tem a temer que se preocupa. Nada daquilo que fazemos deverá interessar às forças da justiça e nada do que possamos combinar telefonicamente poderá colocar-nos atrás das grades, ou quanto muito, justificar um investimento brutal em escutas.

O que interessará à polícia o facto do ilustre Sr. António de Santarém, andar a fornicar no carro a sua empregada peluda, ou mesmo, o que interessará saber que o Sr. Almeida, marido da Dona Isaura, anda a ser fornicado na mata por um colega do colégio?

Não são as vidinhas, mesmo que podres de muitas pessoas, vidinhas duplas e triplas que pouco ou nenhum mal trazem ao país e ao mundo que são alvo de escutas e perca de tempo dos senhores agentes judiciais. Não somos nós que temos medo das escutas, não é o povão, nem mesmo aqueles que transgridem com uns roubos de chocolates no supermercado.

Quem tem medo são todos aqueles que têm poderes suficientes para convocar e participar em comissões políticas de análise deste e de outros assuntos; aqueles que lidam com interesses económicos e políticos; os que movem influências e tráfico de favores; aqueles mesmo que traficam armas, drogas e seres humanos.

Quem tem medo são todos aqueles que vivem com a noção plena, que dessa forma, podem ser descobertos e sim, chamados com toda a JUSTIÇA à JUSTIÇA! São esses os que mais gritam bem alto que as escutas são um atentado à liberdade!

4 comentários:

Capitão-Mor disse...

Só mesmo em Portugal é que as escutas telefónicas são consideradas um horror em termos de investigações judiciais! Esse tem sido um problema eternamente adiado por todos os governos. A PJ e o SIS que o digam...

Breaking the Waves disse...

Ao contrário de muitos assuntos... este dá-me vontade de rir!!

:P

Anónimo disse...

sobre esta cidade

Sininho disse...

Apaludo de pé o teu post enada mais comento