quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

Blogosérie - Augusto Luís

O Augusto quando era novo era um destemido do car… Tinha sangue nas guelras e lábia para dar e para vender.

Avançou em tempos idos para umas férias junto com uns amigos num dos epicentros mundiais do turismo de massas, na "Manhattan da Europa" para ser um pouco mais específico.

O local obrigava a que a noite fosse mais vivida que o dia. Todos os dias ( nas noites ) aconteciam festas de arromba e as solicitações por parte dos Bares e Discos, que se degladiavam pelo maior número de públicos, eram as mais incríveis. Afinal, o público jovem, aos milhares naquele destino, estava sedento de liberdade e de loucura.

Augusto e os amigos não escondiam que estavam numa de facturar, como referiam. As namoradas daqueles que as tinham estavam em Portugal, muitas delas em vias de o deixarem de ser, nada os impedia de actuarem como autênticos garanhões em tão frutuoso destino.

Augusto liderou o grupo logo desde o início, na primeira noite marcou pontos e com isso o respeito dos demais. Nessa noite, um encontro imediato de Augusto provocou a euforia no bando com a perspectiva de daí surgirem outros contactos/facturações. Nessa mesma noite Augusto marcou uma ida à praia para dali a umas horas, pedindo à destinatária do convite que levasse as amigas. Até o Augusto ficou a dormir na praia à espera da prometida excursão feminina pois ninguém apareceu !

1º noite, 1º dia, nada mais a apontar, até que não estava a começar mal, acidentes de percurso destes não são para desanimar. Mesmo assim o saldo era positivo !

2ª noite, …

3ª noite, …

4ª noite, …

Todas elas com direito a bola vermelha no canto e não dissertáveis nesta série !

Voltas mudadas, na penúltima noite a investida nocturna foi mais para o sector dos Bares colados a ocidente de “Manhattan”. Um maná dos Deuses tarde demais descoberto. Cerca de 50% do grupo desapareceu do Bar Dançante logo passado pouco tempo e poucos copos. Saíram todos acompanhados, a maioria passou para Discos contíguas com as companhias na expectativa de voos mais altos, o que não aconteceu !

Augusto não saiu desse local inicial, manteve-se firme e hirto no burgo, tinha presa, apostou tudo no centro das atenções daquele Bar. Ela, ao fim de um longo jogo de olhares e ao sentir a aproximação de Augusto, lançou a primeira frase:

- Donde eres ?
- Portugal
- responde Augusto
- E tu ?
- pergunta obrigatória
- Yo, jajajaja, nosotras, cariño, del Deportivo de la Coruña.

Pertencia a uma equipa desportiva feminina que se encontrava toda ela em semana de confraternização. E que orgulho no emblema ela tinha, estavam desterradísimas todas, longíssimo de casa … como Augusto. Coisas assim só em sonhos !

Parecia que era só escolher a jogadora certa.

Ao longo da noite o bando dos tarados foi-se agrupando e assistindo à mestria de Augusto junto de pilar tão importante de ligação com o restante grupo feminino. Não, não se chamava “Pilar”, embora o fosse, o seu nome era “Carmen”. Uma loira esbelta, alta, de porte atlético com uns olhos cor de mar. Parecia uma “Viking” de puro sangue escandinavo sem dessas terras o ser.

Ferreira e Fonseca colaram-se a Augusto, afinal, eram 3 as belas jovens que com ele estavam. Os restantes membros do clã de Augusto distraíam-se no meio das cañas e da língua anglo-saxónica, dialecto reinante por aqueles lados. Eram 7 ao todo os que nadavam por entre braços e pernas eufóricos.

Regressando ao grupinho mais equilibrado ( 3 + 3 ), Augusto já levava vantagem, depressa acabou a conversa entre ele e a líder feminina desse grupo, a conversa reafirmo, pois a relação dos dois passou para um nível menos falador. Ferreira e Fonseca não passaram da fase 1 e depressa se sentiram a mais, tendo-se então desfragmentado esse grupinho.

- Mañana sí ? – horas depois disse Augusto à encantadora galega Carmen
- Si, yo y todas las chicas de mi equipo ! - O céu desceu à terra !

Avisado o grupo, a excitação naquele final de último dia era mais que muita. O Hotel nunca tinha visto tanto jovem aprumado e cheiroso. Ferreira até meteu gel, algo que raramente fazia. Fonseca, esperançado que pelo menos nessa noite se safaria e já farto de ver Augusto e outros diariamente ressacados de mulheres, investiu numa eau de toilette da moda, logo ali, na caríssima loja do hall do Hotel.

Jantaram todos em jeito de despedida de férias, afinal, apanhariam o avião logo pela manhãzinha. Contavam todos que a viagem saberia a troféu de guerreiro, embora sem dormir, esperavam fazer uma viagem com um enorme sorriso nos lábios no meio das nuvens.

Augusto aceitou o repto de umas copas de tequila de penalty, ensinou, o entretando promovido a amigo do grupo ( barman ), a fazer uns B´52 bem à maneira da sua terra e lá se foi encharcando com essas e outras maravilhas alcoólicas.

Augusto sentiu-se mal, pediu para ir ao Hotel, era logo do outro lado da rua, Ferreira foi com ele pois precisava de se aprumar um pouco mais, afinal, a noitada ia agora arrancar.



- Pá o Augusto aterrou...aterrou pessoal ! – disse Ferreira em estado de choque ainda sôfrego da corrida do quarto do Hotel para o Bar/Restaurante.
- O quê ? o gajo é que se dá bem com a jogadora, a Carmen, a das gajas!!! – diz Fonseca já de mãos na cabeça.
- É que sem ele está tudo feito ! esqueçam a noite, esqueçam tudo ! – grita Ferreira já semi-descontrolado.
- Merdaaa !!!!! – dizem todos em uníssono.

Decisão dos “Cavaleiros da Távola Redonda”: “ vamos para o local combinado com elas e levamos o Augusto em braços “.

- deitamos o gajo no sofá da Disco e continuamos a noite com as tipas, só precisamos dele como isco – disse um iluminado desesperado !

....

Ninguém fala com Augusto Luís, a viagem de avião foi feita à custa de uma elevada dose de drogas farmacêuticas. Augusto Luís só pedia desculpa, imaginando ele, que toda a história tinha acabado quando aterrou no quarto de Hotel !

Como estava enganado !!!!!!!!!

14 comentários:

Paula disse...

Depois de ler tudo isto, as primeiras frases foram as que me ficaram na memória!! O Augusto agora já não é destemido, pois não? Já não tem sangue na guelra, pois não? Eu bem te digo que com a idade...
Decisivamente, eu hoje tou mázinha!

Pronto, este comentário foi só das 1ª frases... comentarei o resto brevemente!!

LoiS disse...

Obrigado por seguires e teres conseguido ler esta maratona literária.

Aguardo as tuas pertinentes dissertações.

CaCo disse...

Li de um fôlego... (ía morrendo, portanto)

ahahah

Adorei! É preciso dizer mais?

CaCo disse...

Gosto do título ;)

(voltarei aqui mais vezes)

Xuinha Foguetão disse...

:)

Esse Augusto Luís faz-me lembrar alguém...

Ahahahahaha!

Ele que não tivesse perdido o resto do juízo a encharcar-se de B'52.

Neca!

Maríita disse...

Cariño mio,

es deportivo de la Coruña coño! Si alguien te escucha de allá te pega!

Ai, voltando ao tema, mas o desgraçado do Fonseca tem que ser sempre maltratado nas vossas histórias? Que tu agora te vingues do Ferreira, tudo bem, mas o Fonseca está fo**** convosco!

Essa terreola do sul de Espanha cujo nome me recuso a pronunciar é efectivamente um local de romaria para o sexo fácil, até os espanhóis conseguem gajas lá! Ups! Ai se eles me ouvem...

Beijocas

Alex disse...

Ai Augusto , Augusto.

És um herói...

silva disse...

Grande Augusto Luís!! Grandes noitadas no belo sul de Espanha! Aposto que deixou lá marcas:)))

Coitados do Ferreire e do Fonseca que estavam à espera de uma despedida em grande no 483 e que acabaram por ter a noite estragada por causa do exagero do B'52 do Sr. Agusto Luís:))

Capitão-Mor disse...

Eh,eh,eh! Li isto tudo de enfiada e gostei de certos pormenores deliciosos.
Creio que este grupinho, que acredito que ande na casa dos 30 anos, tem uma certa dificuldade em abandonar certos hábitos adolescentes. De qualquer modo, este cenário fez-me relembrar umas férias em Ibiza e das histórias que ouvia contar sobre Benidorm.
Bom, isto já me fez mexer os miolos e talvez escreva sobre umas férias dos cromos aqui para os meus lados.
Apenas um reparo...Prefiro Andaluzes a Galegas! LOL!

Paula disse...

Adorei a estória! Tens um grande poder de imaginação e o texto está repleto de pormenores divertidos! Por isso, fico à espera de saber mais pormenores dessa noite memorável (acho eu)!

Tadinhos do Fonseca e do Ferreira... Nem conseguem, sozinhos, arranjar companhia!! E não sei porquê, mas o facto de nem dirigirem palavra ao Augusto Luís, na viagem de regresso, fez-me pensar que eles não tiveram grande sorte nessa noite! Espero bem que o Augusto não tenha sido egoísta! ;)

TONY, Duque do Mucifal disse...

O AUGUSTO É UM CANASTRÃO! ele prevendo que o Fonseca ira facturar, apanhou uma buba descomunal só para o Fonseca ficar a ZERO pela excursão espanhola. E ser gozado Anos a fio.
Muda o titulo para:
AUGUSTO, O CANASTRÃO!
LOOOOOOOOOOOOOOL!

LFM disse...

É impressão minha ou o teu blogue está diferent !?!

Tere disse...

Lois

Nem sabes o que me custou comentar este post... Confessei à Paula que o único comentário que me aflorava à mente era "fanfarronice". Se bem que sei que, provavelmente não será verdade.

Caindo provavelmente no erro de parecer retrógada/ puritana/feminista (que confesso que não sou), a verdade é que fui um pouco "aos arames" com isto... Será que os homens só pensam em saltar à cueca, nas férias?

Não nego que os impulsos libidinosos não sejam fortes nessas épocas - estamos descontraídos, alegres, predispostos para o prazer e, geralmente, um bocadito bebidos, por isso é normal que nos deixemos levar no jogo do flirt. Mas, não consigo conceber umas férias onde o principal objectivo seja o de obter o maior nº de orgasmos seja com quem for.

Peço desculpa se fui bruta na linguagem... sabes que a minha intenção não é nem nunca foi de ofender alguém. Mas, também sabes que eu digo que penso.

De qualquer forma, parabéns pelo post! Escreves de uma forma deliciosa! :)

Beijo da Tere

LoiS disse...

LFM:

Mas divertiste-te ou apanhaste seca? deixa-me que te diga que eu deliciei-me a criar este episódio !

TERE:

OLHA, um segredo que ninguém nos ouve tá ?

OS HOMENS PENSAM SEMPRE EM SALTAR PARA A CUECA !