quarta-feira, 18 de outubro de 2006

Mamãe eu quero ...

Quando quiser vender a casa, desejo ardentemente que a minha vizinha nórdica a ocupe e implore para que eu não me vá. Afinal o respeito pela propriedade privada o que vale ?

Que idiotice enorme é aquela dos ocupantes do Teatro Rivoli no Porto ?

Eu cada vez ando mais parvo com a "mama" que todos querem, num país sem leite para dar a ninguém. Mais um cancro que ali anda, com custos diários de €7500, que nem 6% disso consegue gerar de receitas.

Soluções encontradas passam pela gestão privada. Mas...uma série de artistas não a querem e exigem a prepetuação do Elefante Branco ( neste caso no Porto ).

Dou uma solução, espero integridade na aceitação desta minha ideia: que tal trabalharem sem receber, por altruísmo cultural. E já agora, que tal criarem peças para o povo e não para gáudio intelectual dos próprios e que ninguém quer ver !!!!

É tudo uma questão de prioridades !

10 comentários:

Maria disse...

Francamente não entendo porque não entregar a gestão a privados quando as autarquias não têm mãos a medir com o trabalho, também não entendo porque é que fazem tanto alarido, o Tivoli em Lisboa também tem gestão privada, mas o São Jorge, fica fechado o ano inteiro para apresentar um que outro festival...é triste!

Já agora alguém entendeu porque é que a Ministra da Cultura lá foi meter o bedelho?

Beijocas,
Marie

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Com que então estou agressivo? :)
Pá, só te tenho a dizer que também quero mama(s)! :)
E há por aí tantas...e tão boas! :)
Machismo puro! :) Agora aguenta-te aí com as respostas indignadas do mulherio...

Yashmeen disse...

Concordo contigo. A cultura deve ser para o povo, e não para meia dúzia de artistas se governarem. Sou a favor da democratização da cultura e da educação das massas: parece-me um direito que deve ser igual para ricos e pobres, cultos e iletrados. Por isso, compro livros de bolso, fotocopio as obras que me apetecem, faço downloads ilegais. Sou contra taxas de luxo aplicadas a bens que deviam ser considerados essenciais se Portugal quer evoluir como país.
Tanto me faz se o Rivoli é de gestão privada ou pública; enquanto portuense, incomoda-me sim é que o preço dos bilhetes seja demasiado caro para a maioria das pessoas, especialmente dos jovens.
Quanto à ministra da Cultura, talvez enquanto portuense, ela tenha sentido algu prurido em relação a esta questão. Não fez mais que a obrigação dela em meter o bedelho.

LoiS disse...

Afinal já foram tirados de lá para fora pela polícia, mesmo assim, a mesma não é poupada :

“Foi assustador e desproporcionado” disse à SIC um dos ocupantes, Francisco Alves. "Houve um grande aparato, como se estivessem a prender terroristas ou delinquentes".

Claro que não estavam a ir contra a lei, claro que tinham todo o direito para, claro, a policia é que fez mal em não lhes dar ainda por cima umas valentes caroladas !

El Pepe the King:
Tás a pedir mulherio revoltado tás, olha que anda muito silicone por aí e ainda te engasgas (lol)

TONY, Duque do Mucifal disse...

visconde...andas possuido pelo demónio. O que tu queres sei eu!
eh eh eh

Woman disse...

Todos têm direito ao protesto, resta aos outros dar ouvidos ou não. Tão simples quanto isso... Quanto à cultura chegar a todos, acho que o governo é que se deve responsabilizar por isso, por mais isso eu sei. Porque todos os que trabalham têm direito a receber... Ninguém tem nada que trabalhar de graça, era o que faltava... ;)

Mamas ou silicone? Decidam-se que são duas coisas diferentes...

Beijossss

LoiS disse...

Woman:

Que saudades de uma boa conversa de café !!!
Protestos todos os podemos fazer, desde que a liberdade dos que os fazem, não colida com a dos outros.

Mamas de silicone, falava disso querida !

Yashmeen disse...

Abençoado silicone, que vem dar igualdade de mamas a todas! :)

LoiS disse...

Desejemos é igualdade de cérebros (lol)

Woman disse...

Haaaa, mamas de silicone... Hummm, há por aí mamas bem mais apetecíveis. Não tenham pressa escolham bem...

Beijos