segunda-feira, 25 de setembro de 2006

Jermaine Stewart - We Don't Have To Take Our Clothes Off



Um tributo no meu espaço, foi a nostalgia que atacou o meu ser este fds.

Veio-me à memória um artista que poderia ter sido MAIOR que o "híbrido" Michael Jackson, seu nome: Jermaine Stewart. Por vezes ouço-o nas minhas compilações dos 80´S e recordo os meus inocentes anos; os sonhos que tinha; as paixões platónicas ... e fico com uma lágrima no olho.

Jermaine foi alguém que viveu muito rápido na fama, a correr mesmo! como que a querer dizer a todos nós que a vida é para ser vivida o melhor e o mais intensamente possível, pois depressa nos tiram o palco debaixo dos pés.

Não teve por certo os cuidados que deveria ter, mas isso não criticarei aqui.

RIP Jermaine Stewart. Your music lives on.

- Setembro 7, 1957, Columbus, Ohio
- Março 17, 1997, Chicago, Illinois

5 comentários:

APC disse...

Magnífico! Lembro-me tão bem!...
Era tudo um bocadito diferente, sim. Não se era adulto, os nossos cadernos escondiam segredos "graves", os temas mundanos eram outros ("vinha aí" a SIDA, mas a pedofilia ainda teria que esperar), a tecnologia que conhecíamos eram os vídeos - que eu usava, aliás, para gravar os videoclips (que eram "telediscos") como esse [GPS? 3G? MSN? USB? iPod? Bluetooth...???], o futuro estava lá longe e os sorrisos eram bem fáceis.
Excelente escolha a tua, de facto. Belíssimo tema, para se recordar!...
:-)
Catarse feita, vamos lá a ter uma boa semana, que o futuro continua a estar à frente de nós, apesar do passado ir crescendo (o que só nos deverá tornar mais aptos!;-)
Um beijinho!

LoiS disse...

Delicioso comment APC, DELICIOSO !!!
Se me vêm as lágrimas aos olhos com as memórias e tudo aquilo que o video que postei me emana, com o teu comment chega logo a seguir um respirar fundo, de reconforto e confiança no futuro !
Obg. por estares aí a viver este momento ;)
Bjs grandes !
Uma boa semana para todos!!!

Jade disse...

Lois, adivinho aí um ataque de nostalgia dos fortes. Também me costuma acontecer com alguma frequência. A verdade é que gosto de olhar para trás e saber que vivi a minha juventude em pleno, que fiz, nas alturas certas, o que devia ter feito. Há certamente coisas de que me arrependo (não sou nenhum modelo de perfeição), mas não tenho um passado vazio sem nada para contar (quiçá, um dia, aos netos...). Também fico, por vezes, com a lágrima ao canto do olho quando contemplo fotos antigas, quando descubro um papel perdido ou quando ouço uma música. Porém, o futuro está aí, como disse a Apc, cheio de múltiplas oportunidades. É verdade que, porventura, algumas portas se fecharam, fruto das nossas escolhas, mas outras se abrirão e daqui a vinte anos estamos a olhar para este presente que na altura será também ele um passado e a pensar «Que saudades de blogar com o Lois». Brincadeiras à parte, carpe diem!
Um beijo para mais tarde relembrar!
PS A música é tão 80'que, de repente, parece que tinha voltado ao liceu. Adorei!

LFM disse...

Lembro-me pois!!!!!!!!

LoiS disse...

Jade:

Nem mais ! tanto que fizémos e TANTO que poderiamos ainda ter feito, hehehehe. Aliás, mesmo assim acho que tenho histórias que não contarei nem aos netos ... não! não!

O revivalismo é saudável e muitas vezes dou por mim a olhar para o cartaz dos concertos na esperança de descobrir mais alguns dinossauros desse tempo em digressão aqui por Lisboa ( fiquei sem voz ao cantar com os Depeche Mode; revivi os Sisters Of Mercy ).

Mas é mesmo assim, o tempo, esse, não volta atrás!!!!!

Bjs

LFM:

Somos da mesma geração rapaz !!!