sexta-feira, 21 de julho de 2006

Notícias de Portugal

O presidente do Sindicato dos Profissionais de Polícia (SPP/PSP), António Ramos, foi hoje notificado da decisão do Governo de o aposentar compulsivamente das funções policiais por declarações prestadas à comunicação social.

Em Maio, o Ministério considerou muito grave o facto de o sindicato ter relacionado o aumento da criminalidade com a imigração. Nessa altura, o Presidente do Sindicato dos Profissionais de Polícia fez questão de manter o que havia dito ao Diário de Notícias, ou seja, que a criminalidade aumentou em Portugal com a abertura das fronteiras.

No artigo publicado no DN, consta ainda outra afirmação considerada pelo Governo como xenófoba e incompatível com a actividade policial: "antes de haver imigrantes brasileiros não havia assaltos nos semáforos".

20 comentários:

LoiS disse...

Entendo as partes, mas, o tipo disse alguma mentira ?

Lígia disse...

acho muito bem que ele seja afastado! Já devia ter sido logo que isso aconteceu, acho um bocado vergonhoso porem rótulos assim nas pessoas, especialmente quando é um agente da autoridade... dizer que ele é faccioso é favor (nem sei bem com se escreve lol). quanto a dizer mentiras... olha posso dizer-te que das três vezes que me assaltaram (ou tentaram) nunca o ladrão era "preto, chinês, europeu de Leste ou brasileiro", foram sempre portugas portanto... rótulos não obrigada. mas beijocas :)

LoiS disse...

hehehe

Eu entendo as partes, embora ache um pouco penoso o afastamento !

Talvez uma queixa dele ou um processo em cima! Agora mete-lo no desemprego acho excessivo e prepotente.

Irá agora um ilegal para o seu lugar - lol

Lígia disse...

olha lá... uma pessoa que não é capaz de ignorar credos e raças não pode ser polícia! nem na minha opinião ter qq cargo politíco ou de responsabilidade sobre pessoas (guarda, polícia, sindicatos, segurança...)
e há outra coisa, imagina o galo dos colegas dele se algum tem ascendência brasileira

LoiS disse...

Mas questão aqui é mais complexa.

Não se trata de imigrantes mas de marginais.

O erro do tipo é, ou foi, fazer considerações políticas quendo não o devia fazer.

A politica de imigração está incorrecta, as fiscalizações estão aquem do que deveriam ser, os vistos de turistas caducam e as pessoas que nada têm para fazer ficam por cá !

O problema não é dos brasileiros ou africanos que cá estão para lutarem pela vida e nos ajudarem a crescer, é dos que vêm para cá sem saberem o que irão fazer, sem contrato, para a marginalidade apenas !

Olha como os portugueses que não querem trabalho e que se dedicam a actividades ilícitas.

É um facto que com o aumento do desemprego aumenta a marginalidade e a pobreza.

Lígia disse...

claro mas os imigrantes não roubam trabalho a ninguém, a maioria deles faz trabalho que os portugueses acham demasiado sujo ou mal pago.
e o que ele disse foi que todos os imigrantes são marginais, deslpem lá mas a maioria das familias portuguesas tem imigrantes ou ex- imigrantes na familía e não gostam que lhes chamem marginais... ou será que não são marginais porque são portugueses? ou se calhar são mesmo!

LoiS disse...

É um facto, o tipo meteu tudo no mesmo saco, mas o tipo nunca foi muito ágil na expressão verbal das ideias...mesmo assim eu dar-lhe-ia um desconto e tentaria perceber bem o que queria dizer com isso !

A guerra aqui é política, de sindicatos e ministério público !

Maria disse...

Olha, para tua informação, a polícia vai-se manifestar no dia 28 de Setembro devido a esta reforma compulsiva.

Veremos o que têm a dizer sobre este assunto as diferentes forças políticas em Portugal

LoiS disse...

Politicamente temos um campo enorme de discussão para explorar!

Lígia disse...

weeee welcome Maria, tava a começar a ter a sensação que monopilizava aqui isto :)

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Em Portugal quem agita as águas trama-se! A bela e democrática república socialista...
Xenofobia!? Não obrigado!
Lois, vais-me desculpar, mas tens algum problemas com os brasileiros? Tenho notado isso nos teus textos. Eu também não morro de amores por eles para ser sincero, mas temos que compreender que é uma outra cultura.

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
LoiS disse...

Caríssimo o texto não é meu daí o ter colocado em italico, não entendas o Post como criação minha. Aliás esta telenovela politica não é criação minha. Trata-se de um ponto de partida para uma discussão que aqui podemos fazer sobre a problemática bem premente da imigração. Brasileiros/Alfacinhas ou Alentejanos é tudo igual. Temos é que ter espaço para todos viverem condignamente, agora se fôr para atropelar o próximo não!
Agora como é normal, o desconforto perante a insegurança começa a criar cavalos de batalha e objectos de ódio, é isso que temos que saber contornar.

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Ok, estamos entendidos! Cheguei-me a assustar e pensar que iriam aparecer aqui os gajos das suásticas! :)

Lígia disse...

ia fazer outro comment mas estava-me a repetir. tudo o que queria dizer já disse, acho que o men não devia exercer na polícia, mesmo que tenha sido como dizes lois, e aquilo lhe tenha saido pela boca fora... o que é certo é que saiu, e não podia. Ajo, beijocas

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Pá, quando começas a comentar no Condado? Convido-te desde já para o posto de comentador residente! :)
Um abraço

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

www.condadosebastianista.blogspot.com

Just in case...

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Ah, já agora dá uma vista de olhos no texto inicial do blog para entenderes o sentido da coisa. 09 Junho 2006...

vinte e dois disse...

Estive a ler este debate e a verdade tem que ser dita, a razão está em ambas as partes, mas não podemos chegar a extremos. E vamos aqui deixar de lado as palavras do António Ramos.
Sabe-se que uma parte do aumento da marginalidae tem realmente a ver com a imigração. A máfia Ucraniana é um bom exemplo, e ninguém o pode negar. E está cada vez mais em destaque no nosso país, apesar de muito dissimulada. Por outro lado, é evidente que a maioria da marginalidade vem tb do próprio povo português. Nunca fui assaltado, felizmente, mas conheço quem tenha sido e nunca foi um acto de um estrangeiro.

LoiS disse...

Bem vindo(a) 22 comenta por cá muito!

Pá o tipo falou de assaltos em semáforos e pelos registos policiais esses começaram a acontecer com imigrantes marginais.

Não digo que os tugas não tivessem anterirmente descoberto este "filão" ( afinal somos os 1ºs em montes de coisas negativas ), os registos não tinham era esses dados !

Bem e o o Pres desta associação deitou para fora aquilo que deveria apenas escrever num Blog ;)