quarta-feira, 28 de junho de 2006

Fazer as pazes com o passado !

Existem momentos na vida em que pensamos no passado, mais especificamente nas pessoas do nosso passado, aquelas mesmo que nos ajudaram a ser o que somos no presente e que nos condicionam o futuro. Estou neste momento a atravessar uma fase nostálgica em que algumas situações passadas, incluindo as pessoas que partilharam autrora comigo esse período me vêm com alguma frequência à memória.

São pessoas de quem eu já gostei e que por razões diversas deixei de gostar, pessoas com quem mais intensamente privei mas que perdi ou me perderam em troca de outros caminhos. O mais característico destas pessoas todas, das que me vêm à memória, é um denominador fantástico: desapareceram completamente ! Mas, mesmo assim, gostava de saber mais: o que fazem; onde estão; como estão. Desejo ardentemente que estejam bem.

Não tenho elos de ligação clássicos - outras pessoas - que me ajudem a chegar a estas importantes pessoas. Sei que poderei ser mal interpretado, também sei que um comentário que irei ouvir da minha guru espiritual é o de que elas já cumpriram o seu papel na minha vida e deixaram de me fazer sentido assim como eu a elas, mais nada teremos para trocar, mas ... quero fazer as pazes com o passado!

Termino neste parágrafo partilhando-vos uma coisa. Numa recente pesquisa na net explorei melhor um dos magníficos programas de ligações entre amigos e através de ferramentas de search consegui descobrir uma dessas pessoas. Não sabia dela à mais de uma década, sei agora que mora no Sul, sendo que a mesma é, era, sempre foi e vivia no Norte, e ... não me respondeu ao email que lhe enviei ;( .

Terei feito figura de parvo ?

13 comentários:

freemind disse...

O passado tem a relevância que tem mas devemos deixá-lo exactamente onde ele pertence: ao passado!!

marta disse...

Como tu próprio disseste, se desapareceram é pq já cumpriram a sua missão na tua vida e visse versa. As pazes com o passado tu fazes dentro de ti e do teu coração. Qd fizeres isso, se por algum motivo tiveres q encontrar alguem para dizer algo q ficou por dizer, acredita q a vida encarrega-se do resto! :))

E não, nunca fazemos figura de parvos qd mostramos a nossa faceta mais doce e humilde!
Beijo grannnnnde da guru...:)

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Figura de parvo? Creio que não...
Fizeste aquilo que o teu coração te mandou e não te podes culpabilizar por isso.
Por vezes também tenho essa dificuldade em me desperender das âncoras do passado! :(

Lígia disse...

oh lindo, isto parece impossivel e que te estou a dar uma tanga fenomenal, mas não é totalmente sincero: hoje mesmo ia escrever um post sobre isso! Vou tentar encontrar os meus colegas do liceu, saber o que eles/as fazem. Acho perfeitamente normal, faz parte de nós. e não fizeste figura de parvo! Se eu recebesse um email desses apresava-me a responder :D. Olha qual foi o programa que usaste?
Beijocas

LoiS disse...

Free:

Obg pela frase, ficou-me na memória, embora a minha maneira de ser seja um pouco mais interventiva o que me leva a não ficar quieto. Mas considero a tua frase uma frase sábia ;) !

Marta:

Nem mais, mas se esta descoberta através desta ferramenta fôr um sinal !

Pedro:

Foram fertelizantes que me marcaram e ensinaram a viver e a ser o q sou hoje!

LiLi:

HEHEHE digo.te se me disseres o teu nome...assim pode ser que te descubra tb LOL !!!!

Lígia disse...

lol, mauzinho! vá lá

Lígia disse...

ok ok posso dizer-te mas por mail, não te esqueças que o "anonimato proteje" :)

LoiS disse...

Aguardo desesperadamente ;)))))))
Acho que te chamas ANTONIETA CLEMENTINA. Acertei ?

Lígia disse...

Georgina Valgina :)

LoiS disse...

Muita Gina tou a ver!

Lígia disse...

:) podia ser pior... lol.
Já lá está o mail malandro :). Beijocas

TONY, Duque do Mucifal disse...

pois...temos fases an nossa vida em que temos a necessidade de enfrentar o passado e retirar dele o melhor que já obtivemos. Como já foi dito, o passado pertence ao passado...certo.mas o passado pode, em alguns casos, fazer parte do nosso presente.
Já essa vontade de saber o que cada um anda a fazer...isso só me acontece quando reencontro elguém dos tempos da Faculdade.

Yashmeen disse...

Percebo-ter perfeitamente. Apesar de terem desaparecido da nossa vida, são parte da nossa história.