domingo, 21 de maio de 2006

Orgulho Português !

A questão das bandeirinhas tem alguns pontos positivos. Começo por aqui, o maior é o da imensa união em torno do "ser português".

Quanto à minha pessoa não sou muito de aderir nessas ondas cíclicas, infelizmente, ou talvez não, muito fruto do futebol.

Bandeirinhas no carro e na janela de casa não é muito a minha onda. Não quero criticar quem o faz ... mas, olhem, que se dane, este local é Meu e Vosso, podemos dizer o que pensamos :

ISSO É UMA PIROSADA !!!!

São elas, damas frenéticas, tipo cão com cio, aos pulos numa manobra propagandística em "prol de Portugal" com o objectivo de fazerem a maior bandeira do mundo. A favor de Portugal o tanas, a favor sim do BES, da SIC e de outros tantos interesseiros que antes do patriotismo encontram estas vias para se promoverem. Brinca-se com a bandeira portuguesa em todo o lado, até numa onda de guiness .

São cuecas, soutiens, lenços para assoar, sei lá mais, talvez fraldas descartáveis e preservativos com as cores alusivas à bandeira venham a caminho, é uma alegria !

Não sou um fanático patriota, aliás gostaria mais de ser de um país chamado IBÉRIA. Mas esta treta toda em volta das bandeiras acho-a muito pouco altruísta e com uma elavada dose de falta de respeito ao símbolo da nação.

Mais uma coisa rápida pois reparo que posts demasiado longos começam a irritar-me: a bandeira portuguesa não é da Selecção Nacional de Futebol !

43 comentários:

marta disse...

Olha, eu estive lá e foi com muito orgulho que fiz parte das 18 000 que fizeram a bandeirinha que entrou para o guiness, que por sinal estava bem linda! :) E estive frenética,aos pulos, não com o cio, nem como cliente do Bes que é coisa que tb não sou :), mas com muito orgulho em ser mulher,em gostar de futebol e em apoiar a nossa selecção que é coisa que me faz francamente vibrar!
A questão aqui acho q não é bandeira ser ou não da selecção nacional e muito menos se trata de uma falta de respeito. O que poderás sim lamentar, é o facto do futebol ser o unico motor de união de uma nação numa epoca de crise e a unica altura em que a maioria do nosso povo tem orgulho em ser português!
Bjs

TONY, Duque do Mucifal disse...

Lois, eu não sou grande apreciador de bandeiras nas janelas ou carros. Nisso tou de acordo contigo. AGora gosto da onda patriota que se levanta nesta ocaiões. Durante o periodo do Euro2004, as pessoas andam mais felizes, mais conciliadoras, mais bem dispotas. Havia mais tolerânica. Eu arrepio-me SEMPRE que oiço a PORTUGUESA. Tenho uma t-shirt vermelha com o simbolo das quinas. Não é uma camisola de Futebol. É uma t-shirt que em vez de dizer LEWIS, BORA-BORA ou outras designações, não tem nada escrito mas tem um imenso vermelho com as quinas junto ao coração. Eu sou um PATRIOTA ASSUMIDO. E é óbvio que o futebol não pode ser a única alavanca. Mas repara que se não fosse o futebol, hoje não tinhas Évora na 1ª linha das noticias. E se Évora é uma cidade encantadora.
Em relação à feitura da Bandeira, assim sim, tou 100% de acordo contigo. Mas acredita, havia lá mulheres que estavam de corpo e alma no projecto.
Afirmas que a bandeira não é exclusivamente um simbolo da selecção, isso é correcto. Mas o nosso petróleo continua a ser o mar e o sol. E queres que, de repente, se mude tudo? Como PATRIOTA só te digo isto, NÃO à IBERIA, sim ás tradição colonial.
Opiniões...

LoiS disse...

Linda, manifesta o teu orgulho de ser portuguesa pagando os impostos, não sujando as ruas com papeis, tentando todos os dias fazer deste rectângulo um melhor país para se viver e não descarregando apenas e só o "patriotismo" através de uma questão futebolística.

Mas se te divertiste optimo, fizeste a bandeira, já fizeste a tua parte, agora podes esquecer o país !?

Tony, patriota sou eu ao defender a IBERIA, agora, a nação não se resume ao futebol como tu e muitos aparentam fazer. Évora o caralho, e o Fundão? e a Guarda? e tantas Braganças que não tiveram força para terem um estádio de futebol enfim ...

Essa do cio foi propositada, não a levem a peito, se a levarem olhem também Vos digo que eu muitas vezes ando com cio !!! Não por causa do futebol hehehehehe ou em espanhol jajajajajaja ;)

Maria disse...

Ora vamos lá por partes,
A bandeira nacional, não é um exclusivo nem se esgota no mundial, euro ou afins. Deviam ter andado todos em colégios como eu andei que aprendiam a valorizar dois dos símbolos mais importantes de qualquer país, o Hino e a Bandeira. Antes de entrar nas aulas, e eramos pirralhos (entrei para lá com 3 anos...), cantávamos o hino inglês e depois o português, ao mesmo tempo que as crianças da quarta classe, hasteavam a bandeira. Até hoje, sinto que essa parte da minha formação, que na altura achava uma seca e não compreendia, me fez muito mais consciente posteriormente, do valor de Portugal e dos seus símbolos.

Não entendi a história da bandeira do Jamor ter sido feita só por mulheres, não entendi nem aceito, porque Portugal é feito de homens e mulheres. Mas certamente havia um propósito nesta manobra publicitária. Não vou debruçar-me mais sobre este assunto porque honestamente acho que não se justifica.

Quanto à ideia de Ibéria, tal como tu a defines, NUNCA vamos estar de acordo nesse ponto e agora sim, vou-me esticar no que vou escrever. Vivi em duas cidades diferentes de Espanha durante tempo mais que suficiente para ter a certeza absoluta que Espanha é bom para passar férias. Em Portugal, temos mil e um defeitos, mas ninguém normal, tem um vizinho doente que lhe pede para ir à farmácia buscar um medicamento, e ele se recusa. Não temos a arrogância própria dos espanhóis, e lamento, a estupidez característica dos galegos nacionalistas de esquerda. Não somos frios e egoistas como a maioria dos que vivem em Castilla la Vieja e lamento, como diria um português meu amigo: "gostamos tanto dos espanhóis que quando chegou a altura preferimos atirar-nos ao mar, a ter que viver com eles". Aceito sem dificuldade uma maior integração europeia, vejo-a como necessária e neste sentido, parece-me óbvio que Espanha está mesmo aqui ao lado. Conheço muitos empresários espanhóis cá e vejo cada vez mais interpenetração de mercados, o que não é o mesmo que fusão de culturas ou línguas. Não sou espanhola, não me sinto espanhola, sou PORTUGUESA E TENHO UM ORGULHO DESMESURADO EM SER PORTUGUESA. NUNCA ninguém me vai ouvir dizer que gostaria de ser espanhola, inglesa ou francesa, gostaria sim, de ter os salários deles e alguma da sua descontracção e estupidez natural, mas é tudo.

Desculpa o testamento, mas quando alguém me fala na ideia de Ibéria qual Conde Duque de Olivares, agradeço a Deus a revolta da Catalunha e a defenestração do Miguel de Vasconcelos.

LoiS disse...

Maravilha de discussões!
É destas que gosto!
Sabeis..."as opiniões são como o olho do cu! cada um com o sua!" ( Quantin Tarantino - o Mestre )

TONY, Duque do Mucifal disse...

e digo-te mais Lois, OLIVENÇA AINDA VAI SER NOSSA!

TONY, Duque do Mucifal disse...

No dia 20 de Maio de 1801, há exactamente 205 anos, os exércitos de Espanha, conluiada com a França napoleónica, invadiram Portugal e ocuparam a vila portuguesa de Olivença.
Eis, singela, a «Questão de Olivença»: uma parcela de Portugal foi usurpada militarmente pelo Estado espanhol, há 205 anos, extorsão não reconhecida e ilegítima face ao Direito Internacional.

LoiS disse...

Ideologista Tony ! e mais não digo !

Maria disse...

É melhor deixar Olivença sossegadinha porque senão ainda temos que dar Barrancos que para quem não sabe é território espanhol... Deixemos as coisas como estão e poupemo-nos a disputas infantis, nem os oliventinos querem ser portugueses, nem eu quero ter que lhes implorar que regressem...

LoiS disse...

hehehehe
Mas que contributo social/cultural e económico é que a treta de Olivença traria a Portugal?

Quanto a Barrancos mais à merda dos Touros que se pirem para Espanha !

marta disse...

Cheri, eu pago os impostos, nunca deito papeis para o chão, separo o lixo, deito as garrafas no vidrão e tb vou para a rua festejar qd Portugal ganha! Tudo faz parte :)

Marie, de acordo com o que li no jornal, o facto da bandeira ser feita só por mulheres teve várias razões.
1º Mostrar aos país que o futebol não é um desporto só dos homens e tal como vimos no Euro, cada vez mais as mulheres se deslocam aos estádios e apoiam tanto as equipas nacionais e a selecção tal como os homens. O que vimos no estádio nacional foi uma prova disso.
2º-A intenção era formar a mais bela bandeira do mundo, daí chamarem as mulheres.
3º-É mais facil bater o record apelando às mulheres pq são por natureza mais emotivas que os homens para eventos desta natureza.

Acima de tudo a intenção foi mostrar que hoje em dia as mulheres são tão adeptas do futebol quanto são os homens. Essa foi a principal razão.

TONY, Duque do Mucifal disse...

qualquer duvida é só consultar www.olivenca.org
já agora Lois, tu deves ser daqueles que acha que Gibraltar deve ser governado por Madrid? Enfim, um Estado que rouba um pedação de terra a outro Estado e ainda tenta anexar outro pedaço de terra como sendo seu. Ibérico? Eu? Eu sou tuga!

LoiS disse...

Eu não diria tanto Tony, cada vez és mais Ibérico ( para n dizer espanhol )...factos são factos!

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Ora eu não tenho nada contra e até acho muito bem! Quem for aos EUA vê bandeirinhas em todo o lado, no Brasil verifico a mesma situação e só em Portugal parece que existe vergonha em exibir a bandeira.
Em Marrocos até existem bandeiras em lixeiras! :)
Se bem me lembro há por aí muitos meninos que usam roupa da Gant que ostenta a bandeira dos EUA, as camisas mais antigas da Sacoor ostentavam bandeiras, todas elas estrangeiras porque caso fosse a nacional seria para bimbos,certo?

TONY, Duque do Mucifal disse...

tens razão. e a malta que anda com bonés dos USA? Oh yeah brother!

LoiS disse...

Pedro:

Se tu o dizes, para Bimbos !

Uma bandeira é para se respeitar não para se ostentar !

Cumps !

marta disse...

Pedro tou ctgo! Nesse aspecto deveríamos ser mto mais como os americanos!

Lois hoje tas do contra! Kreduuuu :))))

LoiS disse...

Não do contra, acho que o verdadeiro nacionalista sem o ser sou eu.

Olha eu de tshirt com a bandeirinha de uma nação!!!! haja respeito !!!! nunca gostei!!!!

Vcs devem ter adorado algo que abominei: a "selecção Sagres" em que estavam bandeiras espalhadas em que o centro das mesmas era uma carica amarela a dizer Sagres, fénix, nem 5 quinas nem nada. Foi algo muito triste, nunca vi ninguém a revoltar-se contra tal!

Será que a cervejeira queria chamar à nossa nação uma nação de bêbados ? Conseguiu pois toda a gente andava de papelinho/bandeirinha "Sagres" na mão a acenar.

migas disse...

Que significado ... atrair massas, multidões ..., com o propósito de quê ... fazer a maior e mais bela bandeira de Portugal, diria COMERCIALIZÁ-LA.

Será que das 18.000 presenças todas elas saberiam o HINO DE PORTUGAL? completo claro...é claro que não.

!O povo saiu à rua!

marta disse...

Migas eu sei o hino! Desde a primária! :)))))

migas disse...

Marta_
desculpa, estava a contar 18001 contigo. O pouco que te conheci senti que não era só o hino de portugal que sabias, mas tens sim também o hino da alegria...que libertas.

És bem disposta, é disso que precisamos, bandeiras ... não deveremos também fazê-las para que se atraia investimento, que a econima cresça, que os teatros se encham, que os espaços verdes aumentem ....
bjinhos!

marta disse...

Migas és um verdadeiro poeta alegre! :))
bjinhos

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Agora vem meio a atalho de foice mas já vi que gostas de literatura espanhola... Aconselho - "A Rainha do Sul" - Arturo Perez Reverte.
Um abraço

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Agora vem meio a atalho de foice mas já vi que gostas de literatura espanhola... Aconselho - "A Rainha do Sul" - Arturo Perez Reverte.
Um abraço

Pedro Ferreira, Visconde de Cunhaú disse...

Agora vem meio a atalho de foice mas já vi que gostas de literatura espanhola... Aconselho - "A Rainha do Sul" - Arturo Perez Reverte.
Um abraço

Xuinha Foguetão disse...

Essa doencita deixou-te um bocadinho ranhosito, não?

Ahahahahaha!

Beijocas.

LoiS disse...

Pedro do Brasil:

Amigo, a literatura que eu gosto até te deixou zonzo e triplicas a mensagem !

Abraços amigo.

XU:

O MEU CORAÇÃO NÃO AGUENTOU COM A TEU COMMENT NO MEU ESPAÇO E MORRI DE ALEGRIA !

Como sou ruim por natureza ressuscitei com mais acidez ainda!!!!

Fica por cá MORCONAZINHA
BJJJJ GANDIS AQUI DA MOURARIA ;)!

Xuinha Foguetão disse...

Oh pá!

Se soubesse...

Mas olha que eu já tentei e não tinha conseguido aceder ao teu espaço! :)

Vou tornar-me visita diária e chatear-te mt.

Ainda bem que ficaste contente. Não me sabia capaz de, com tão pouco, criar contentamento a um ranhosito.

Ahahahahahahah!

Toma! (isto tudo por causa da morconazinha)

Beijocas

LoiS disse...

Olha que aqui para os Mouros "Ranhoso" é uma expressão muito forte!

No entanto, como este espaço vive de estaladas, escárnios e maldizeres, estás à vontade para te expressares dessa forma.

Mas olha que no fundo só te imponho uma coisa, temos que todo no fundinho nos amarmos muito !

Bjs morcona, gosto de ti!

Anónimo disse...

deves ser español. ORGULHO SKIN!

LoiS disse...

Antes fosse espanhol amigo! melhor, não deves ter lido com atenção REGIONALISTA

LoiS disse...

REGIONALISTA EXPLICO.TE:

É que respeitaria mais a bandeira que muitos desta região IBERICA!

ORGULHO TUGA !

Maria disse...

Nunca tinha visto alguém escrever: ORGULHO SKIN, fosse onde fosse. Os blogues são um espaço de reflexão pessoal, e cada um tem o direito a ter a opinião que tem. Não sou nem nunca pretendi ser espanhola, no entanto tenho mais conhecimento do país que a maioria das pessoas que por aqui passam. Nunca me ocorreu, ao discordar do LoiS, ser insultuosa, ser Skin é um insulto à tolerância que o povo português demonstrou ter ao longo da sua História e eu, não gosto de ser insultada.

migas disse...

Não viram o MASTRO da maior e mais bela bandeira de Portugal?...
Sim era o LOIS, mas se não viram... compreende-se :)))

LoiS disse...

Mais um brincalhãozinho!
Segura aqui rapaz !!!!

;)))))

TONY, Duque do Mucifal disse...

o homem do mastro...:) já és actor?

Lígia disse...

Marta:
Tava muito linda sim senhora.

E também eu vou de camisola das quinas para a rua nos dias de jogo! e com muito orgulho (Só não dei 10 euros pela camisola- mesmo com orgulho sai do bolso!)
E também eu tenho a bandeira na varanda, isto de apoiar os marmelos na Alemanha tem muito que se lhe diga.
Beijocas

LoiS disse...

Lígia, já és linda só por aqui andares, obg ! ;)

Olha, andas assim nos dias do jogo, pergunto-te eu: sentes Portugal nos outros dias também ?

Bjs

Lígia disse...

Por acaso até sinto, da pior maneira... pelo lado negativo, devido à minha vida profissional. Gosto de Portugal e de ser portuguesa, emociono-me com as questões do País e vivo os problemas e as virtudes desta terra à beira mar plantada. Mas convenhamos. se andasse sempre vestida com as cores da bandeira tornavasse um bocado monotono :), Para além de que o amarelo não me fica bem, tenho a pele muito branca :D beijocas

LoiS disse...

PEÇO DESCULPA PELO TAMANHO DO COMMENT, MAS NÃO QUERIA DEIXAR DE COLOCAR AQUI UM EMAIL RECEBIDO COM A ESTÓRIA DE ALGUÉM QUE PARTICIPOU NO EVENTO AQUI DISCUTIDO:

A mais bela vergonha do mundo.

A ideia era boa, era!

O projecto era grandioso, a mulher portuguesa sentiu-se lisonjeada e acorreu em massa ao Estádio Nacional para formar a bandeira das mulheres.

Nos dias que precederam a festa, as facilidades multiplicaram-se: haveria transporte e alimentação gratuitos para todas e ainda os pequenos brindes que todas gostaríamos de trazer para os filhos que ficaram em casa com o pai. Fomos de todo o país, do Minho ao Algarve e até das ilhas! Até nos pediram para levar o lenço de minhota!

O pior foi que os senhores da (des)organização não sabiam que em Portugal havia tantas mulheres e ficaram atarantados (como dizemos à boa e velha maneira minhota) quando elas invadiram o estádio aos milhares. O transporte, tivemos; e o resto? A alimentação nem a vimos, ou, se alguém a viu, não fomos todas; só as que chegaram primeiro, porque estavam mais perto.

Debaixo das altas temperaturas que se fizeram sentir e do sol que nos escaldou as cabeças, não havia que comer e a água estava exposta dentro do recinto da festa sem nos ser distribuída. Quando a pedimos aos organizadores que ufanamente exibiam o seu crachá, como se fossem donos do mundo, ninguém a queria dar. Tivemos que gritar em coro "Queremos água! Queremos água!". Muitas entraram em pânico, muitas desmaiaram com o calor e a fome. Valeram os bombeiros de Linda-a-Pastora (bem hajam!), que a todas socorreram com carinho e atenção.

Sabem então o que fizeram os "festeiros"? Começaram a atirar garrafas de água pelo ar, por cima das nossas cabeças. Quem apanhou, bebeu, quem não apanhou, passou sede. Vi pessoas que partiram as cabeças com garrafas que vieram pelo ar; vi pessoas que magoaram os dedos ao tentar apanhá-las; vi milhares atropelarem-se bancada abaixo, porque estiveram mais de quatro horas sem comer e essencialmente sem beber nada, expostas ao sol tórrido; vi o pânico e a raiva multiplicarem-se. Os bombeiros não tiveram mãos a medir!

Entretanto, o senhor animador anunciava repetidamente ao microfone que todas iríamos participar na formação da bandeira; poderíamos estar sossegadas nas bancadas que todas iríamos ser chamadas; haveria lugar para todas... Todas!

Por volta das 16h, quando as mulheres se aperceberam de que a bandeira já estava em formação, muitas se precipitaram para o acesso ao relvado, sem regra. Umas entraram, outras não. Muitas vieram embora (como eu) sem querer saber sequer da bandeira, revoltadas com o desprezo e a mentira a que foram votadas.

Eu levantei-me às 4h da manhã de sábado, deixei os meus filhos com dois e sete anos com o pai em casa, fui de Caminha a Lisboa para ser enganada, gozada e maltratada. Como eu, também o foram todos os milhares de mulheres a quem prometeram que iriam participar na bandeira e não contaram. Como eu, também o foi a senhora a quem deu uma trombose no recinto que se repetiu na viagem de regresso, dentro do meu autocarro, ao voltar para casa devido a problemas de saúde antigos agravados pelas más condições a que foi sujeita durante o dia.

Foi tudo tão bonito e emocionante na televisão!

Nunca mais tratem assim a mulher portuguesa, porque nós não merecemos. Merecemos mais respeito e atenção porque muito de bom que o país tem é dado por nós. Continuamos a ser o maior pilar português.

Agora, só me resta lavar e guardar o lenço de lavradeira que orgulhosamente exibi em Lisboa, a capital que tão bem nos soube acolher, e esquecer para sempre a mais bela vergonha do mundo por que passei na vida.

Cristina Queirós Marante

Vilar de Mouros

P.S. - Tudo o que afirmo aqui é verídico e pode ser confirmado junto da corporação de bombeiros de Linda-a-Pastora, junto dos responsáveis pela organização distrital deste evento (nomeadamente o IPJ), em Viana do Castelo, e pelos bombeiros municipais de Santarém, que socorreram a senhora do meu autocarro, na estação de serviço de Santarém, sentido sul-norte, por volta das 22h, e a conduziram ao Hospital de Santarém, onde permaneceu acompanhada de uma filha, não regressando a Viana do Castelo no autocarro.

Lígia disse...

Lois:

Ainda bem que estas histórias não ficam com quem as viveu, ainda bem que houve alguém capaz de passar para o papel (ou ciberespaço, neste caso) uma experiência que, se realmente aconteceu assim, é lamentavel e nunca deveria ter acontecido. é contudo estranho que tenha ouvido vários relatos de pessoas que estiveram lá e me são próximas, e nenhuma delas tenha descrito uma experiência tão negativa como esta, mas acredito que num ajuntamento de mais de dezoito mil pessoas quando eram esperadas... 10 mil não era?? que essas coisas, e se calhar outras bem piores, tenham acontecido. Fico triste por saber que aconteceram, mas não me surpreende totalmente.

Gostava, contudo, de fazer aqui uma comparação, para que a questão da bandeira das mulheres portuguesas não pareça uma nódoa negra no calendário português, e para que uma coisa que se pensou uma festa não fique recordada como um desastre.
cá vai, me desculpem os mais crentes, (que eu também sou):
A Igreja Católica está cheia problemas, padres pedófilos, padres alcoolicos, dinheiro gasto de forma estranha, dioceses corruptas, missionários transviados, padres com filhos, bispos com amantes... tá cheia de erros certo? está cheia de pontos, bolas enormes a que podemos apontar o dedo e dizer: "ah!ah! então é assim uh?".
Quem escolhe ser católico, e frequentar esta ou aquela paróquia sabe disso, se calhar com mais consciência do que nós, que estamos de fora, pensamos. Lá porque este ou aquele padre (ou nem que sejam todos) tem este ou aquele defeito (nem que sejam 100), o sentimento do crente no seu Deus não se altera, ele sente e pronto.

Estão voces a pensar: onde quer esta fulana chegar? Substituam a "Igreja Católica" do exemplo por "Portugal" e substituam "os padres" pelos "organizadores" dos eventos que teem como finalidade exaltar o espírito de ser português.
Agora digam-me: As pessoas que participam nesses eventos, se estes forem mal organizados, sentem-se menos portuguesas? sentem menos "Amor à Bandeira"? (Nota: Não sei bem se Amor é a palavra certa). Não me parece que a resposta seja afirmativa, a única coisa que me parece que essas pessoas sentem é que os "organizadores" são maus profissionais, nem sequer sentem que os ditos "organizadores" são maus portugueses.

Voltando ao exemplo anterior: um padre pode ter filhos, uma amante, gamar a caixa das esmolas, mas ser um excelente pregador, e trazer imensos fieis à Igreja e ao "Amor de Cristo"... é um mau "profissional" mas não deixa de ter Fé e de a transmitir!, pois as pessoas não deixam de sentir o que ele diz!

Tal como a Fé o "Orgulho de ser português" não se escolhe sente-se! Ou se tem ou não se tem, quem tem sente.
A D. Cristina Queirós Marante não deixará, concerteza, de aplaudir a selecção e eventualmente ter a bandeira na janela, porque quem se abala de Vilar de Mouros para Lisboa às 4am não escolheu ser português, SENTE que é português!

Não me vou alongar mais, beijocas

Lígia disse...

bemmmmmm.... sorry Lois, a Lili aqui alongou-se para caraças

LoiS disse...

linda ;)