segunda-feira, 25 de maio de 2009

Nomes pós-casamento

Quem não se sente lisonjeado por dar o seu nome a outra pessoa? A verdade é que acrescentar o sobrenome do marido é uma opção que historicamente surgiu quando as mulheres ainda eram consideradas por lei, pasmem, incapazes. Então após o casamento ficavam sob responsabilidade dos seus maridos.

7 comentários:

Estreliña disse...

Eu diria que é demode.

Apesar de que tá muito jeito chamar o casal X, em vez de ser a senhora Y e o marido Z.

De qualquer modo, acredito que seja um orgulho para ele.

Yashmeen disse...

Eu só ponho o nome de um homem quando ele puser o meu

LoiS disse...

Nem mais.

Mas conheço cada vez mais histórias de mulheres que casaram mesmo, para serem mulheres do ...

Não casadas para serm um efectivo CASAL! aquele que partilha e se há partilha, até de nome deve haver, não sobreposições!

No limite, ningue´m tem de mudar o que é de "sangue"!

Bjs.

Rubi disse...

Essa comigo nao cola!!! :)

Teresa disse...

Isso é uma coisa muito desactualizada.. ainda por cima com a taxa de divórcios que há... uma confusão estar sempre a mudar de nome, não? Eu cá mantenho a minha identidade, não há cá misturas..

bjinho ;)

freemind disse...

E gosto mesma é daquelas que metem o nome do marido para poderem ter no dela o belo hifen ou o "da... e ..." qualquer coisa... daqueles nomes sonantes e imponentes socialmente reconhecidos.
Na realidade era o meu sonho, claro está... não ía divulgá-lo, mas prontes!!

Anónimo disse...

Eu sou homem e queria colocar o sobrenome da minha esposa, quer dizer, isso quando eu tiver uma. E acho que o ideal seria hifenizar os dois sobrenomes, porque daí ela não "perderia" o sobrenome dela. Por exemplo, se ela era conhecida por Srta. Suzuki, passaria a ser chamada de Sra. Suzuki-Mendonça, e não simplesmente Sra. Mendonça. E eu, idem... Hehehe! O fato é que se eu pudesse mesmo, trocaria o meu sobrenome pelo dela. Mas acho que daí já não pode, pelo menos, não no Brasil, porque no Japão eu sei que pode. Há casos em que o sobrenome da esposa é mais "prestigiado" que o do marido, e lá, como o costume é ter um sobrenome só (o do marido), nesses casos ocorre o inverso, fica só o da esposa (mais justo, eu acho).