domingo, 21 de outubro de 2007

Liberdade de expressão



Passeava eu no pontão da marina na cidade X.

Ao longe, no mesmo pontão, vejo um casal de namorados em êxtase amoroso. Abrando para não incomodar, paro definitivamente uns 100 metros antes, não quis mesmo avançar mais!

Éramos 3 pessoas naquele pontão, naquela tarde ventosa e cinzenta, tarde clássica daquelas paragens.

Enquanto o casal se beijava, acariciava, um em cima daquele que se encontrava sentado nos bancos de cimento cavados no paredão, respeitosamente e sem mais olhares iniciei a contemplação do agitado mar que se encontrava nas minhas costas e das embarcações bem à minha frente.

Ao fim de uns 10 minutos o casal de namorados caminha em direcção a mim, só assim dali poderiam sair. Nessa altura encontrava-me em profundo relaxamento, sentado num banco idêntico ao do ninho amoroso daquele casal.

Quando por mim passam UMA olha-me de lado, a OUTRA, passa por mim cabisbaixa.

Adorei a surpresa, que respondi com um sorriso!

5 comentários:

blackstar disse...

Eu bem me queria parecer que tu achaste piada à situação! ;)

LoiS disse...

Só e abandonado no fim do mundo, só mesmo uma cena dessas para me alegrar.

Capitão-Mor disse...

Há que ser tolerante! Todos diferentes, todos iguais!!! :)

LoiS disse...

Mais ousados que na capital. Só por isso tiro o meu chapéu!

;)

Yashmeen disse...

E viva o amor livre! ;)


Abraço
PS: Mudei de poiso. Agora estou no wordpress.