sexta-feira, 25 de maio de 2007

Acção e devoção


Por vezes, vem-me à cabeça a devoção de muitos a uma qualquer igreja/religião.

Não falo só na devoção egoísta daqueles que se voltam para as igrejas e para todos os santinhos em tempos de crise, mas também da devoção muitas das vezes hipócrita e permanentemente beata de muitos outros.

Consciente estou que muitas das coisas que se aprendem e se aconselham nas diferentes igrejas não são obrigatoriamente más. Nos ícones de muitas religiões encontramos mesmo directrizes para condutas de paz e amor ao próximo.

No entanto, o que me leva a dissertar sobre esta temática é a possibilidade de perdão que é oferecida aos devotos.

Essa benção redentora suprema, encerra em si, algumas hipóteses de perfilar os seus seguidores. Sou livre de o fazer e tenho bases reais para pensar assim baseando-me em alguns casos que conheço.

Não serão os maiores pecadores, aqueles que o são mas de forma consciente, os que mais procuram a sua benção e redenção dos seus pecados através da sua devota submissão às igrejas?

Não estarão eles conscientes, que ao pecarem, a sua devoção acaba por limpar as suas almas, continuando assim a viver moralmente impunes!

E muitos deles, continuamente vivem assim, na acção pecaminosa/devoção redentora, como que numa vida dupla.

Esses, caros amigos, são os piores de todos!

10 comentários:

LFM disse...

Ui, é que é isso mesmo!
E assim sendo são muito que aplicando isso à religião, acabam por o fazer depois no trabalho, na sociedade, etc...

Jade disse...

Esse assunto dá pano para mangas, mas confesso que hoje não estou com paciência para grandes reflexões. No entanto, de uma forma geral, até concordo com o que disseste.
Beijos!

Rubina disse...

Muito bem visto. Concordo em absoluto!

Capitão-Mor disse...

Como a Jade referiu, este assunto dava pano para mangas. No entanto, eu tenho a minha fé e criei a minha própria maneira de comunicar com Deus fora de templos e cultos. Mas também dizes uma grande verdade...não adianta, algum do fundamentalismo contra as religiões. Que eu saiba, nunca tentaram encaminhar as pessoas para caminhos obscuros e impõem alguma moral.
Bom fim de semana!

pedropina disse...

o palavavrao da CONSCIENCIA

concordo oh se concordo

a inocencia, a ingenuidade nao têm maldade....

o pecado é uma questao de CONSCIENCIA!

kdo nao temos a tal da consciencia, ate podmos estar a errar, mas nao se xama assim, nao é erro, pecado...será acidente, será um...ups!

mas kdo se tem a tal da consciencia e se continua ...pa dp se pedir desculpa...opahhh guardem la as desculpas e as penitencias e as avé-marias e confissoes, pk nao aprenderam nada!

e estamos cá pra aprender....tanta coisa! a sermos...conscientes p ex...

p.p.

Marta disse...

Este assunto é para mim fantástico e tem muito que se lhe diga!
Como uma vez ouvi um padre dizer~
" As pessoas têm a mania que Deus é bombeiro e só chamam por ele quando há fogo! Vale mais uma vela acessa em casa com fé, do que 100 na igreja sem fé nenhuma!"
Beijão

lélé disse...

Não tem muito a ver com o post, isto que vou dizer, mas acho que foi uma expressão engraçada e bem vista, especialmente por ter sido dita por uma freira católica, à porta do hospital, quando eu vinha a sair da visita a uma velhinha adorada: "Jesus morreu novo e esqueceu-se dos velhos!"

Mar disse...

Olá lois aqui está um tema que me atrai e que dá mt que falar, mas vou tentar ser breve (tentar...!!) Concordo plenamente ctg, para mim o tipo de devotos que tu mencionas é o mais “falso” que existe já que estes vê a devoção como um meio e não como um fim e este tipo de pensamento é completamente imoral.

TONY, Duque do Mucifal disse...

A RELIGIAO, O PECADO MORTAL DA MAIORIA DOS SERES HUMANOS...

blackstar disse...

Supostamente, eu estou excomungada... Acho que já não tenho perdão! (não sei, mas penso que é assim) No entanto, não é porque um padre diz isso (ou até o Papa) que eu deixo de ir à Igreja quando ela está vazia (transmite-me paz) ou que deixo de ter a minha Fé!

Claro que quando ouço casos de "perdão cristão" a assassinos ou pedófilos e excomunhão a divorciados, salta-me a tampa... mas lá está, quem o faz e o diz são homens normais, que, muitas vezes, duvido que sejam melhores pessoas que eu!