quinta-feira, 5 de abril de 2007

O estado do humor da nação

O recente sucesso dos Gato Fedorento, em comparação com o eventual insucesso do Herman José, para mim, tem direito a algumas considerações que partilho neste espaço.

Gostando de ambos, não posso deixar de achar que o monopólio Herman que durante anos a mais liderou o mundo humorístico televisionado nacional, está enterrado.

Sobre o Herman pouco terei a dizer, ele é o verdadeiro artista. Muito talentoso e brilhantemente inteligente. Tanto dá cartas como músico, como consegue ser melhor orador que muitos políticos experientes, assim como ainda nos brinda com bailados, cozinhados e outros “ados” mais.

Já no que respeita à recente moda dos Gato Fedorento, por muito que goste deles, não os vejo para além dos putos universitários, brincalhões e parvinhos o suficiente para que todos os colegas os achem uns tipos à maneira. É aí, quanto a mim, que está o segredo do sucesso destes humoristas: a sua enorme proximidade com o povão, influindo nele uma enorme empatia (afinal, até eu fazia aquilo no meu tempo de estudante – penso eu e muitos mais !).

Se repararem bem, o que todos admiram, são as frases que estes rapazes lançam cá para fora mal conjugadas verbalmente, as palavras de um português pobre ou inexistente e a deturpação do que é falar correctamente. Tudo isso empregue num humor momentâneo, desprovido de ritmo e carregado de gaguejos e pausas circunstanciais .

O Herman também tem esse tipo de humor, é um facto, mas não é só desse humor que ele “vive” e só pelo panorama humorístico fica!

Volto a repetir que também me agradam os rapazes “Gato”, afinal, sou um tipo da web e eles neste mundo também dão cartas.

Mas sinto que estes rapazes estão de passagem. Apareceram muito à custa de uma cultura bem portuguesa: o da pouca exigência, com a inerente “big-brotherização” do panorama televisionado do entretenimento nacional.

No entanto, hoje apetece-me ressaltar a crescente arrogância, prepotência, desnorte e convencimento de superioridade, com uma notória falta de discernimento destes tipos. É que se está a dar origem a perfeitas idiotices como a anormalidade que apareceu no dia de hoje e que me implodiu a escrever este post sobre o estado do "humor" no meu país!

Serão os "Gatos" os que mais se assemelham a nós e aqueles que melhor toleramos? Serão eles o garante da nossa moralidade na vida? É que não são como os outros, os velhos mas trabalhadores, incansáveis e talentosos que trabalham e não se deslumbram com tudo e com todos!


Vejam:


"Os Gato Fedorento decidiram fazer frente ao Partido Nacional Renovador (PNR), e colocaram um cartaz no Marquês de Pombal onde apelam à imigração."

15 comentários:

ritó disse...

Concordo inteiramente com aquilo que escreves. O sucesso do "Gato Fedorento" deve-se ao facto de se conseguirem aproximar mais do povo português: "Apareceram muito à custa de uma cultura bem portuguesa: o da pouca exigência, com a inerente “big-brotherização” do panorama televisionado do entretenimento nacional." Aliás, sempre considerei que o Herman era amado por todos aqueles que o compreendiam e odiado por aqueles que não o entendiam, e muito menos o humor dele!

Em relação à reacção ao cartaz original do Marquês de Pombal do PNR (que me dá asco) devo dizer que os meto no mesmo saco. Pelo extremismo, pela incoerência, quer de um quer do outro.

Beijos e Boa Páscoa!

Paula disse...

Também eu comecei a manhã com um post dedicado aos Gato, mas exactamente pelo motivo contrário!

Eu "conheci" os Gato há relativamente pouco tempo, e sinceramente, gosto muito deles! Aquilo que tu consideras uma "notória falta de discernimento", eu considero um acto de bom senso: mostraram qual a opinião deles, com o sentido de humor que os caracteriza, e criticaram aquilo que a maioria das pessoas critica! (Claro que eu só falo de bom senso porque a opinião deles é idêntica à minha!)

O Ricardo Araújo Pereira é extremamente inteligente e os Gato vivem, em parte, à sua sombra! É notoriamente o que mais à vontade demonstra perante as câmaras, porque, realmente os outros elementos gaguejam um pouco! Mas isso não me impede de os admirar! O Ricardo escreve excelentes crónicas semanais na revista "Visão", nas quais demonstra não só um excelente conhecimento da Língua Portuguesa, como da sociedade em que vive! Mais, uma vez que fazes a comparação, deixa-me dizer-te que o RAP foi (penso que já não é), durante algum tempo, argumentista das Produções Fictícias e, como tal, foi ele quem escreveu os textos do Herman José na época em que este humorista mais se destacou!

Já agora, o que mais admiro nestes rapazes, não são as frases que se transformam numa espécie de refrão para alguns, mas sim a sua capacidade ousar (este cartaz é um bom exemplo)!

Silvia F. disse...

Pronto está na hora de discordar contigo... até que enfim!! ;))
Subscrevo as palavras da "Paula".

Na minha opinião, o cartaz é genial! É a resposta que esse partido fantoche PNR merecia. Num país tão cinzento, cartazes como estes fazem muita falta ;)
O RAP é de facto muito inteligente e a personagem que se destaca, os Gatos sem ele nem fariam sentido.
Alguns sketches não são tão bem conseguidos porque com o tempo o humor em Portugal ficou mais apurado. Temos agora um leque de óptimos humoristas!

No que diz respeito ao Herman José, desde que ficou loiro perdeu muita graça ;) É uma pessoa inteligente com óptimo sentido de humor mas as suas piadas não têm o mesmo impacto de outrora. Aí está, sinal dos novos tempos.
Muitos filmes de humor que eu achava hilariantes anos atrás, hoje em dia acho-os parvos. O mundo está em permanente evolução, não é só em Portugal.
No programa "Hora H", o Herman passou de cavalo para burro. Ele nem tem culpa, os autores dos textos deprimentes é que deveriam ser enviados para Júpiter.
Apesar de tudo, ele estava bem melhor no programa Herman SIC, onde ainda podia improvisar com aquela graça que lhe é inato.

Beijos,
S.I.L.V.I.A

LoiS disse...

Para as morconas apenas uma frase que já corre na blogosfera:

"Que saudades dos politicos quando faziam o seu papel de políticos e não se metiam com o humor, assim como dos humoristas que fazendo o humor não se metiam na política ( e não com atenção )"


Aliás o PNR já agradece o tempo de antena, o efeito será o contrário daquele que pretendem !!!!

O RAP não está a conseguir separar a sua paixão pelo PCP da sua arte !

Já volto à carga à noitinha, falamos depois ...

Paula disse...

Essa frase já corre há algum tempo... começou por se utilizar devido às palhacices de um determinado político (ou pelo menos foi assim que tive conhecimento dela)!

Querido cromo, se há políticos que se acham autênticos humoristas (humoristas substitui o substantivo que considero adequado), que apareçam humoristas com coragem para lhes responder da melhor forma!

O RAP é comuna? Só sabia do seu mau gosto futebolístico! Eu vi logo que devia haver mais qualquer coisa que me fizesse gostar dele!

Capitão-Mor disse...

Excelente texto! Não lhe alteraria nem uma vírgula. No nosso país, qualquer chalaça que não exija muito do cérebro faz sucesso. Eles esquecem-se é que o ar de vedeta do Herman José surgiu-lhe bem mais tarde na carreira. È caso para dizer que as formigas já têm catarro! :)
Essa provocação ao micro-PNR foi desnecessária e desprovida de bom gosto.

vinte e dois disse...

O Herman já foi o meu ídolo, mas agora caíu na banalidade. As personagens das suas rábulas não mudam e o sentido crítico deixou de existir. Numa palavra, deixou de ter piada, deixou de ter piadas inteligentes. Quanto aos Gatos, gosto do estilo "non-sense" que faz parte de uma grande parte dos seus sketchs.
Serão talvez uma moda passageira? Talvez sejam, não sei. mas de qualquer forma, têm-se aguentado à brava. E não devemos esquecer que durante muito tempo, foram os Gatos que escreveram os textos do Herman ;)

Silvia F. disse...

Mas afinal porquê a palavra "morcona"?? É que além de não ser uma palavra muito... requintada, vai-se lá saber porquê, não percebo!

Ha sim a frase é... é! Foi algum partidário Salazarista que a exclamou em praça pública? É que tem pouco de democrática...sei lá!
Nem acho que actualmente os políticos se metam no humor, se fosse na cocaina ainda concordaria mas para mim metem-se em palhacices e o zé povinho aplaude o circo!

Isto também diz muito a meu respeito??? Arghhh

LoiS disse...

O Zé Povinho gosta é das Floribellas e cada vez mais não pensa pela sua cabeça.

Refugia-se em humoristas, irresponsáveis e outros demais demagogos. Basta que façam umas palhaçadas a gozar com a política e com os políticos. Isso tudo na esperança de que esses sim, os salvem da próprio buraco em que se enfiam cada vez mais, com o divórcio das ideias e das soluções com que eventualmente ajudariam Portugal.

Não é deixando a critica à política e os políticos na rua, na mão de pseudo-salvadores que uma nação se governará.

E sim, é tão fácil dizer que o político A é gay, o B não tem estudos, o C mete-se na coca. Tão fácil dizer que o melhor para este país seria um partido dos "gato fedorento".

É esse o nosso destino, na volta, com pessoas a pensar assim!

BANANA REPUBLIC

LoiS disse...

O deficientes skins já oferecem porrada e ameaçam os não menos parvinhos "Gatos". Quanto a isso nem preciso de referir nada, são palavras de gentinha que não merece qualquer atenção!

Mas:

"O nosso cartaz é um acto de humor, não é acto político; é uma sátira política, mas não descarto que possa ter consequências políticas", justifica Araújo Pereira.

Já José Pinto Coelho, presidente do PNR, disse ao DN estar "agradecido" aos Gato Fedorento "por ter dado visibilidade ao ponto de vista" dos nacionalistas."

TONY, Duque do Mucifal disse...

Excelente Post Lois! Concordo contigo. Gosto dos GATOS e do seu sentido de humor mas tens razão quando falas na falta de discernimento de alguns membros dos Gatos.
A paizão pelo Benfica e pelo PCP leva a que o seu humor seja parcial e tendencioso.
Concordo com a tu analise sobre o Herman. O Herman José é o ARTISTA TOTAL. Mas também já teve tempo de antena suficiente. E é pena que os ultimos programas dele não tenham o sucesso esperado. Talvez o Herman esteja refem da sua sede de successo.
Todos sabemos a formula de sucesso dos GATOS. Uma piada juvenil e com acne do tempo dos bancos do liceu. Afinal todos nós tinhamos um Bobo da Corte nas nossas turmas.
E é através da exploração do pior que nós temos e da sua ridicularização que os GATOS sobressaem.
Olha estupido é ver catches dos GATOS no Estádio da Luz sem a presença do Zé Diogo Quintela. Isso sim é pura ignorancia!
Boa Pascoa Lois!

Pedrito de Portugal disse...

Bem só posso dizer que até lhe podem chamar "mulher do norte" mas quem fala assim não é gaga e têm toda a razão de palhaços estamos nós rodeados todos os dias e sem graça porque se os politicos nos fizessem rir pelo menos era um ponto positivo a seu respeito

LoiS disse...

Nem sei por onde te pegar TERE,
Tal é o encanto e o que me encantas nas discussões. És um doce.

Registo que no fundo concordas comigo. Estás é muito agarrada ao respeito que tens pelos tipos, mas isso é normal.

Não confundas é os papeis, eles são bons naquilo que fazem e por isso, e por todos os adorarem, não se devem arrogar ao direito de acharem que são superiores a tudo e a todos, colocando-se moralmente mais acima que qualquer outra entidade com mais responsabilidades nessa matéria.

Gostaria mais de ver um PCP a colocar um cartaz político desse género que os Gato, entende!

Já disse td o que pensava sobre isto, não me repito, existem é sempre novidades que partilho, assim, o cartaz dos Gato era ilegal ao contrário do cartaz original. Que vergonha!

Será que tb pensavam que a CM de Lisboa aos os achar como salvadores da pátria, emitiria uma licença depois de um acto passível de autorização estar consumado?

A arrogância tira o discernimento e o sucesso enterra os mais mal preparados.

Parece ser o caso !

Bjs doce Tere

a TERE tinha dito: disse...

Ora bem... tu gostas mesmo de deitar achas para a fogueira! Fico longe uns dias e olha só para isto. Mais uma vez, um prazer ler e responder. Dás pica!

De facto, numa coisa tens razão: os Gato sentem que já atingiram um patamar alto na nossa sociedade o que lhes poderá dar uma influência considerável... e isso é uma verdade incontestável. Poucas são as pessoas que não sabem e dizem uma piada, que não imitam um trejeito ou uma expressão dita por eles. E eu sou uma dessas pessoas. Admito-o totalmente.

Porque não hão-de eles gozar com trágico-cómico panorama nacional, com o bigode e a corrente de ouro, com a brejeirice que por vezes ataca o nosso nobre povo? Há alguma lei que o proíba?... Se fica mal ou bem, se se gosta ou não, esses são outros quinhentos(como se diz pelo menos na minha terra).

Quando eu era ainda consideravelmente petiz, lembro-me que o Herman quase sofreu um auto-de-fé quando se lembrou de imitar a Nossa Senhora, ou quando se mascarou de Camões... nessa altura, toda a gente achou ultrajante a sua atitude, porque estava a "brincar com coisas sérias". E são-no para muita gente. Mas o que se tem que reparar é que brincar não tem de ser necessariamente insultar.

Mas o que me parece que te aflige não é o bem ou mal de gozar, mas sim o facto de pensares que eles poderão influenciar o pensamento das pessoas... Isso talvez seja verdade. Não concordo contigo quando dizes que cada macaco tem que estar no seu galho. Eles como cidadãos que são têm o direito de expressar o que pensam. É preciso seres político para te fazeres ouvir? De certeza que também os políticos dizem as suas piadas de vez em quando... Lembro-me de uma: o metro do Porto era para ter ficado pronto para a Capital Europeia da Cultura...Excelente piada! E porque não há-de um humorista expressar os seus gostos pessoais se os políticos também não o fazem? Desde quando é permitido que se desculpe infracções ao código da estrada a um homem que gosta de andar a alta velocidade só porque ele é ministro e tem um grande carrão? Ou se perdoe e engula as bacoradas constantes que dizem porque lhes vem à cabeça e que só humilham os Portugueses?...

Serão eles os únicos a poder gozar connosco? Não podemos também fazer rábulas sobre eles? Só porque eles foram eleitos agora estão imunes à crítica?...

Temos que pensar na concepção de humor tanto dos Gato Fedorento como do Herman... são ambos similares. Não têm ou tinham medo de misturar com o humor mais fácil e até considerado baixo, umas finas ou escandalosas tacadas político/sociais.

E enquanto nós formos capazes de nos rirmos das desgraças que assolam este país, é melhor darmo-nos por contentes. No dia em que perdermos essa capacidade começaremos a ficar parecidos com os suecos na taxa de suicídio, mas sem a sua qualidade de vida...

Desculpa a extensão, mas já sabes que açambarco muito espaço. :)

Beijo

Yashmeen disse...

Os humoristas passam-me um bocado ao lado. Contudo, acho que o Herman foi bem mais sensato ao manter-se (mais ou menos) ao lado de intervenções políticas. Estes rapazes fazem afirmações um bocado inconsequentes, campanhas eleitorais... um dia destes passam de terem graça a serem apenas engraçados...

Hugh