quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

No sex until marriage


A defesa da prática do sexo só depois do casamento é algo apregoado por inúmeras religiões, pessoas e culturas, oportunamente alicerçado na premissa que a mesma conduta se apresenta como um método infalível no combate às doenças sexualmente transmissíveis, embora, o cerne da questão se prenda essencialmente com a questão da procriação.

Pois bem, alerto os ilustres casados que podem e devem fazer todo o sexo do mundo entre eles, no entanto, recomendo muita prudência, pois, é necessária a certificação se de facto estão perante um parceiro casado antes de avançarem para tão prazeroso acto.

Olhem que muita gente faz-se passar por casada quando de facto não o é.

CUIDADO !

16 comentários:

Capitão-Mor disse...

Eu sou a favor do test-drive antes de avançar para o casório, não vá um gajo levar gato por lebre! :)
Essas modas de defesa de virginda pré-casamento originam comportamentos ridículos. Já ouviste falar das rainbow parties nos EUA? Pois bem...cada menina pinta os lábios de uma cor diferente para fazer sexo oral aos meninos diferentes. È eleito o rapaz mais popular da festa, aquele que terminar a noite com mais cores no seu pirilau!

taizinha disse...

capitão-mor: …não vá um gajo, ou uma gaja

Eu sou de opinião de que, neste ou noutro qualquer assunto do foro íntimo, cada um sabe de si. Se é a religião ou a sociedade, a mentalidade conservadora ou a liberal, se é a vergonha ou o desinibismo, se é pura e simplesmente o querer ou o não querer… isso pouco importa. Não gosta não come! Procure compatível!

Maria disse...

O que eu tenho vindo a reparar é que há cada vez mais gente disposta a esperar pelo casamento para exprimentar os prazeres do sexo. Mas é mesmo como diz a Taizinha, cada um faz o que quer e eu não tenho nada que ver com isso, mas que me faz confusão faz...

Beijinhos

Jade disse...

Observação muito oportuna da Taizinha: parafraseando o Capitão, uma gaja também pode comer gato por lebre...
Tal como a Taizinha e a Maria disseram, cada pessoa deve decidir o que fazer, independentemente de condicionalismos impostos por esta ou aquela instituição (Igreja, família, etc). A ideia que sexo só depois do casamento combate eficazmentre doenças sexualmente transmissíveis é uma perfeita idiotice; só partindo mesmo da premissa que ambos os elementos nunca praticaram sexo.
O sexo deve ser entendido como um acto natural que pode ser praticado fora do casamento, dentro do casamento, aos fins-de-semana, dia sim, dia não... sempre que ambos os elementos quiserem.
Beijos com saudade!

Paula disse...

O que me ri com o segundo parágrafo do te texto!!!

Agora mais a sério, de facto, a consciência de cada um deve determinar o que fazer neste aspecto, mas faz-me uma certa confusão que, numa altura em que cada vez mais pessoas falam da importância do sexo na relação, alguém possa casar sem nunca o ter experimentado! Se devemos conhecer bem a personalidade do/a companheiro/a para percebermos até que ponto somos ou não compatíveis, não deveríamos conhecer outros aspectos com os quais vamos lidar todos os dias?

Eduni disse...

Concordo inteiramente - a 200% - com o comentário da "Paula"!

taizinha disse...

Eu também concordo com a Paula, desde que a liberdade de escolha continue. Também me parece que o casamento como condição sine qua non para se morar junto está a desaparecer. Assim há tempo para descobertas e treinos de compatibilidade.

LoiS disse...

Capitão:

Essa orgia oral não existe tb na versão cunilingus ?
Sei lá, fazendo uma avaliação cega pela sensação dos melhores lábios/línguas, com ou sem pêlos ( da barba ), cada qual escolhendo o q gosta mais hehehehehehe. Um reparo quanto a mim pertinente: uma menina prova e foge logo pois n gosta, não deixará essa mais marca que uma que gosta e fica lá muito tempo, "limpando" todos os vestígios de baton ?????!!!! hei??? ( agora foi H.C. 1º escalão, as minhas desculpas ).

Tiazinha:

Volto a referir que gosto muito de te ter por aqui, por muito que tente e n consiga deixar os meus comentários no teu canto...ok "discutimos" aqui!

Maria:

Essa é a minha filosofia de vida - cada um faz o que quer, sempre com o consentimento maduro do outro - e nós aqui comentamos o que achamos !


Jade:

Minha linda, tanto trocadilho me apetecia encaixar com o teu comment, mas, como "ti quiero mucho" tenho receio que n gostes ... bem só um pequenino, vá! pequenino, deixa lá ... SAUDADES DE ?????

haaaaaaaaaaaa pronto, sorry!

Paula:

Bem vinda, vens da parte da minha querida "Yash..." right ? Fica cá ;)
Mas será o sexo assim tão importante? ele afinal não sabe sempre ao mesmo, com a mesma pessoa, durante muito tempo !!!!!

Eduni:

Bjs ...

taizinha disse...

Lois, estás perdoado por não deixares a tua marca no meu sítio, mas "tiazinha"? T+A+I e não T+I+A.
taizinha
Beijos. Gosto deste sítio. E hoje diverti-me à brava...

LoiS disse...

Tiazinha...e eu sou lá tipo de não apelidar os meus mais que tudo blogamigos hahahahahahahahah... TIAZINHA sim senhora!!!!

Jade disse...

Saudades de ti.

LFM disse...

lol
as casadas andam atrás de ti?
lol

Paula disse...

De facto cheguei até aqui através do blog Yashmeen! ;)
Respondendo à tua pergunta, digo-te já que a minha opinião sobre esse assunto, costuma causar alguma polémica, principalmente no sector masculino que não concorda muito comigo! Eu não acho que o sexo seja fundamental numa relação; acho que há outros aspectos que são muito mais importantes! (Geralmente, nesta parte os homens dizem que não tenho razão e que se o sexo não é bom, acabam por ter aventuras extra-conjugais, blablabla... é a minha opinião, posso estar errada, mas é a minha!)
No entanto, não posso ser cínica, é óptimo quando podemos conciliar tudo numa relação, e se temos a possibilidade de "escolher", então devemos aproveitá-la!

LoiS disse...

Jade:
Aiiiiiiiiiii...lol eu entendi, não resisti foi a provocar !

LFM:
Andariam atrás de mim se eu fugisse lollllll

Paula:
Isso mesmo, concordo ctg. Mas tb digo quanto a essa "prova" que nem tudo o que sabe bem inicialmente permanece gostoso até ao fim ... logo, não é só o sexo que conta, é o "pacote" com as suas compensações. Nada é definitivo/eterno.

Yashmeen disse...

Mais uma vez concordo com a minha querida amiga Paula...

Beijos, Lois

Lígia disse...

lol, belo ponto de vista sim senhora! sendo assim... vou ali e já venho